Olá pessoal, essa resenha ficou meio grande - deve ser uma das maiores que já fiz - mas é por que esse livro é daqueles que faz a gente se apaixonar por cada personagem, cada situação e de alguma forma nos tornamos parte e extensão do livro. Estou com uma depressão pós-livro daquelas, por isso essa resenha tão grande. 

Autor: John Green
Páginas: 304 páginas
Editora: Intrínseca
Sinopse: "Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera. 

Quero colocar aqui primeiramente, os pontos – que pelo menos para mim – fizeram de “O teorema Katherine” um dos melhores lançamentos de 2013:

1º) As notas de rodapé mais explicativas, didáticas e incrivelmente interessantes que já vi. Nada daquelas notas com simples traduções de nomes de lugares, ou com sugestões de leituras complementares sobre o assunto. Neste livro as notas de rodapé são parte e extensão do livro e sinceramente algumas são as vezes melhores que  passagens do próprio livro. São engraçadas e curiosas e me arrancaram grandes risadas, mas esse já é o segundo ponto.


2º)  As risadas que esse livro me arrancou, logo nos primeiros capítulos foi algo um tanto inesperado. A amizade entre Colin e Hassan se mostra extremamente bem-humorada, com diálogos leves e divertidos, misturando o conhecimento excessivo de Colin – sobre praticamente tudo – e o total descompromisso de Hassan com o resto do mundo que não seja o seu sofá e a televisão.

As diferenças entre os dois é o que dá movimento ao livro, e tudo fica ainda melhor com a chegada de Lindsey Lee Walls.


3º) E o terceiro ponto, que eu não poderia deixar de falar, são os anagramas de Colin, é claro.

Colin pode anagramatizar praticamente qualquer palavra  e depois de um tempo o leitor começa a tentar fazer anagramas também. É serio, estou fazendo anagramas até agora, mesmo após ter terminado o livro, fico anagratizando nomes de livros, filmes, do namorado, dos amigos... é claro que meus anagramas nem se comparam aos de Colin, mas eu estou melhorando. \õ/

Agora vamos a resenha de fato!

Neste livro conhecemos Colin Singleton um garoto que diz ser um prodígio e não um gênio, já que prodígios aprendem rapidamente o que gênios criaram e Colin nunca criou nada, há não serem anagramas com o nome de suas dezenove namoradas, as quais todas – por acaso ou não – se chamaram Katherine.


No começo do livro, partimos do momento em que Colin é abandonado por Katherine 19, a qual já havia sido Katherine primeira. Enfim, após o término do namoro de Colin, ele e Hassan decidem partir em uma viagem de autoconhecimento, buscando o que lhe falta e desvendar os motivos pelos quais quer tanto se tornar um gênio criando algo, ao ter o seu momento EURECA. Por que ele quer tanto ser importante. Ao mesmo tempo acredita que uma nova paisagem e conhecer novas pessoas fará com que esqueça ou pelo menos lembre menos de Katherine 19 e Hassan fugisse dos pais que insistem para que ela vá para a faculdade.
"É fácil demais ficar empacado. Cê só fica com essa ideia fixa de ser alguma coisa, de ser especial ou maneiro ou sei lá o quê, ao ponto de nem saber mais por que precisa disso; cê só acha que precisa."
No meio do caminho – logo após uma das várias associações históricas que Colin faz – decidem parar em uma cidade pequena chamada Gutshot para visitar o tumulo do Arquiduque Francisco Ferdinando. Colin e Hassan conhecem então Lindsey Lee Walls, uma moradora local com sotaque caipira que os guiará até o túmulo, e que por acaso – ou não – mudará completamente suas vidas. No caminho Colin esbarra em uma pedra, cai e nesses poucos segundos com um corte na testa tem o seu momento EURECA!


A idéia de Colin consiste em usar seus conhecimentos sobre “pés na bunda” levados por Katherine’s para criar um teorema, onde a partir de variações matemáticas criadas a partir de dados da pessoa, seja possível determinar quando e quem vai terminar o namoro. Ou seja, Colin descobriu como representar o amor em forma de gráfico.
“É possível amar muito alguém. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.”
Ele passa a desenvolver o teorema no castelo rosa de Holly mãe de Lindsey que faz a eles uma proposta irrecusável de trabalho, onde Colin teria tempo para trabalhar também em seu teorema. A amizade entre Colin, Lindsey e Hassan cresce, enquanto isso Lindsey ajuda e incentiva Colin a não desistir do teorema. Entretanto o que Colin e Lindsey não sabem é que talvez, a ‘era’ das Katherine’s esteja prestes a acabar.


À partir daí entre o teorema, anagramas e saudades de Katherine, Colin e Hassan vivem aventuras inimagináveis, fazem descobertas amorosas, enquanto passam por situações cômicas fazendo o leitor gargalhar. Esse livro nos arrebata nos pega de jeito e não deixa-nos parar de ler, mas tudo isso com uma escrita simples e profunda de John Green! É uma obra prima do autor, é tão realista e com personagens complexos e cheios de medos, frustrações, alegrias e  a procura de descobertas sobre si mesmo e o amor, que não conseguimos parar a leitura nem por um momento.  Um livro que deveria entrar para a meta de leitura de todos! 





7 Comentários

  1. Eu quero muito ler este livro porque adoro a narrativa do John Green, e a estória parece ser bem legal. Adorei a sua resenha, ela me deixou bem ansiosa para ler este livro!
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Legal... Que estória diferente,
    Affs19 pés na bunda de Katherine's diferentes, isso em si já é algo incomum. Não conhecia o livro, mas me interessei bastante pela estória.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi meninas, tudo bem?
    Nossa, ele livro SUPER MEGA MASTER está na minha lista de leituras. Acabei agora de ler A Culpa é das Estrelas e tô apaixonada pela escrita do John Green. To muito curiosa pra O Teorema e a sua sinopse com certeza me fez querer ler mais!

    beijos
    Kel
    http://porumaboaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. ah, esqueci de falar no comentário anterior, indiquei vocês para um meme literário no meu blog =)

    beijos
    Kel
    http://porumaboaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Obrigada a todas pelos comentários, que bom que curtiram minha resenha. Aconselho a todos a leitura do livro, pois John Green é um escritor fabuloso!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Que agonia ler a resenha, porque estou doida pra ler esse livro, eu adorei "A culpa é das estrelas" e esse pelo jeito não deve nada pra ele rs
    Bjs
    http://mundoliterando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa quero muito ler este livro..se for tão bom quanto A Culpa é das Estrelas vai ser perfeito..rsrsr

    Beijos!

    ResponderExcluir