RESENHA ESCRITA POR LARISSA LIMA
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 500

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Sinceramente, quando comecei a ler Divergente, não imaginava de forma alguma que esse seria o melhor livro lido na minha vida. Quando comecei a ler o livro, não vi nada demais nele, apenas um livro, mas minha paixão por ele começou a crescer muito ao decorrer do livro, e hoje sou fã da trilogia.

Divergente, o primeiro livro da Trilogia Divergente é uma distopia. Conta a história da jovem (e não muito bonita) Beatrice Prior de 16 anos. No livro “o mundo” foi dividido em 5 facção (Audácia, Abnegação, Amizade, Erudição e Franqueza) onde todos nascem em uma facção, e em uma determinada idade devem escolher se querem permanecer na facção em que está ou ir para outra facção. Beatrice pertence à Abnegação, e como todos de sua idade devem escolher em que facção deseja ficar para o resto de sua vida.

Antes da “Cerimônia de Escolha” todos devem passar por um teste de aptidão, onde será realizado um teste para ajudar a pessoa para saber em que facção provavelmente a pessoa pertence/pertencerá. O teste de Beatrice da um tipo de “erro”, pois o resultado apresentado é de que pertence a três facções: Abnegação, Erudição e Audácia.

Depois de escolher sua facção, Beatrice resolve mudar seu nome para Tris. A maior parte do livro conta sobre a iniciação de Tris, que é basicamente um “treino” de cada facção, para os “participantes” saberem como agir na determinada facção, seus objetivos, etc. Os que não se adaptarem a nova facção tornam-se um “sem facção” que são os “mendigos”.

O livro é bastante tenso na maior parte, e não tem praticamente nada de romance, só algumas partes que são raras. O livro foi bem escrito e bem estruturado, uma história bastante envolvente que te prende na litura desde a primeira página até a última.

E eu só tenho a agradecer a Veronica, por ter escrito essa Trilogia, que sem dúvida, é a melhor que já li.