Autor: Collen Houck
Editora: Arqueiro
Páginas: 496
Nota: 5
Sinopse: Perigo. Desolação. Escolhas. A eternidade é tempo demais para esperar pelo verdadeiro amor?
Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.
Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos.

Em A viagem do tigre, terceiro volume da série A maldição do tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada em direção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.

 Esse para mim é o melhor livro de toda a saga. Os lugares são bem descritos e acima de tudo, muito bem construídos. Além disso a autora passou a dar mais relevância para detalhes realmente importantes em suas descrições, o que tornou a leitura ainda mais fácil e rápida.

Outra coisa que acho importante destacar aqui, é que esse livro é o maior da saga inteira. Já li o último livro "Destino do Tigre" e ainda acho que esse é o mais bem escrito por Colleen Houck. A autora soltou a imaginação e deve ter feito uma pesquisa profunda para construir cada paisagem dos lugares por onde Kelsey e os irmãos tigres passaram.

Isso - as paisagens - nos leva a outro aspecto importante que deve ser destacado aqui. A capacidade de Collen Houck de ir aos extremos. O que quer dizer é que ela construiu personagens doces, como a própria protagonista Kelsey, os irmãos tigres, que apesar de marrentos têm um coração extremamente sensível e ainda o Sr. Kadam e Nilima que estão sempre aptos a ajudar. Na contramão disso tudo ela nos dá Lokesh.
"De repente, os dedos dele coçavam para tocar a pele fina dela outra vez. Como seria agradável colocar sua faca na carne dela. Enquanto ele ponderava aquele pensamento, ele correu um dedo na extremidade afiada do vidro quebrado da janela. Talvez ele até deixasse os tigres viverem para ele se deleitasse com o tumulto que causaria neles. Sim. Enjaular os príncipes e fazê-los assistir enquanto eu subjugo a garota será altamente prazeroso." (Lokesh, seu monstro! #medo)
Sempre que vinha uma passagem com esse vilão, me perguntava como a autora o conseguiu construir para passar tanto medo assim. Lokesh é impiedoso, sanguinário e não tem papas na língua. Se quer matar, mata. Se quer torturar, tortura. Se quer só brincar de gato e rato, ele o faz, sem piedade nenhuma. Sem remorso algum ou se quer um pingo de culpa.
Fiquei entre Ren e Kishan e balancei minha cabeça. Lokesh franziu o cenho e emitiu um comando. Os meninos estavam prontos. Kishan jogou o chakram, Ren usou a Echarpe para amarrar e balançar os homens ao longo das lateais do navio ao alcance dos mastigadores tubarões. Infelizmente, os tubarões estavam mais concentrados em nós. O chakram cortou o braço de um inimigo e abriu seu peito antes de retornar para nós.
Neste livro, a missão de Kelsey e seus tigres é encontrar o colar de Durga e assim ganhar mais 6 horas para Dhiren e Kisham ficarem como humanos. Essa é a missão que achei mais difícil - apesar de agora ela ter os dois irmãos para defendê-la - porque para mim tudo o que tem mar, rio, lago... é difícil. Não sei nadar e morro de pavor quando penso em ficar em uma caverna embaixo d'água, com seres gigantes e assassinos...
E com tudo isso ainda vem as consequências das escolhas erradas de Kelsey em relação ao tigre que realmente ama.

O livro inteiro ela fica se corroendo, sobre a escolha certa, o caminho certo, o motivo realmente relevante e vários outros aspectos que a levaram a escolher quem escolheu. Entretanto, ainda assim ela se sente incompleta, culpada e perdida dentro de sí mesma. A "amnésia" inexplicável de Ren a deixa totalmente abalada e a todo momento a pergunta que ecoa em sua mente é "Por que Ren a apagaria? Ele não a amava? Tudo fora apenas um sonho?" Enquanto isso Kishan - mesmo respeitando certos limites - deixa claro que está na briga pelo coração de Kelsey não importa o que precisa fazer pra isso.

Começa então uma disputa silenciosa, uma verdadeira guerra fria entre dois irmãos, em busca do coração da mesma mulher.
“Eu sou um travesseiro redondo? O que isso quer dizer?” Ren perguntou.“Isso quer dizer que nós não estamos destinados a ficar juntos, e só. Eu deveria saber que você trucidaria meu coração. Todas aquelas coisas que você disse, todos os poemas que escreveu – eles não significaram nada para você. Quando nós chegarmos em casa, eu pretendo te devolver cada um dos seus poemas.”
Usando desses sentimentos da protagonista, a autora vai a cada avanço dos personagens na sua missão, dando a eles além da missão conjunta, missões pessoais de auto-conhecimento e libertação. O que quero dizer, é que para completarem sua missão eles precisam estar em paz consigo mesmo para só então fazerem parte de um todo. Isso dá mais dinâmica ao livro, a missão é conjunta, mas cada um tira algo pessoal dela. E acredite, isso vai fazer diferença na próxima - e última - missão deles.
“Você mesmo disse a Kishan. Você não podia imaginar amar alguém como eu. Vê? Até você sabia que nós não nos encaixávamos. Você é o Sr.Perfeição e eu a Srta. Medíocre. Qualquer um pode ver isso, e aqueles eram seus verdadeiros sentimentos logo depois que nós o resgatamos.”
Entretanto, o melhor do livro são os cinco dragões míticos e as missões dadas por eles aos protagonistas e ainda, os monstros enormes e amedrontadores que surgem quando você acha que já viu de tudo. As reviravoltas do livro são emocionantes e inpensáveis, quando achamos que está tudo perdido surge uma luz no fim do túnel e Kelsey e seus tigres voltam para uma nova empreitada.
Kishan era uma aposta segura. Amar Ren era um risco.
A autora conseguiu me surpreender, me decepcionei um pouco com a leitura do livro anterior, "O Resgate do Tigre", mas agora, em "A Viagem do Tigre", Colleen Houck colocou os pingos nos "is" e construiu cenários, personagens e situações completamente inusitadas, criativas e instigantes. Aconselho a leitura!



6 Comentários

  1. Oii eu até agora só li o primeiro livro da série, espero poder ter a oportunidade de ler os outros livros da série, depois de ler sua resenha me interessei mto por esse livro da saga, espero gostar mto tbm.

    BjOs!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nenhum da saga.. por isso não li sua resenha sorry! rs
    Mas tenho o primeiro aqui na minha estante e espero conseguir lê-lo esse ano!!
    Beijos
    http://tyelehopes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá conheci seu blog pela lista do Amigo Secreto entre Blogueiros. Já estou te seguindo.

    ;)

    http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. To visitando e seguindo os blogs participantes do amigo secreto de blogueiros! Meu último post foi uma tag, que indico pra todos vocês <3 Haha.

    Beeijos, Flá. { http://pequenascoisaas.blogspot.com.br/ }

    ResponderExcluir
  5. Oiee
    Amooooo demais essa série ♥ Esse foi o melhor livro de todos, principalmente porque a Kelsey sofreu bastante...rsrsrs...odeio ela, mas amo demaaaais o Ren e o Kishan, queria um pra mim *-*
    Participo do amigo secreto e vim fazer uma visitinha :)
    MilkMilks
    DM
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Gi,

    Sou louca para ler essa série, já até dei o primeiro livro de presente para uma amiga, mas ainda não li, acredita? Parece ser muito bom!

    Beijos!

    ResponderExcluir