Autora: E. L. James
Editora: Intriseca
Páginas: 544
Tradução: Maria Carmelita Dias
Sinopse: Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade. 


No terceiro livro da trilogia “50 Tons”, a autora E. L. James escreve agora sobre uma Anastácia Steele casada. Um casamento repleto de amor, mas ainda assim prematuro, tanto para ela como para Christian Grey. É por essa imaturidade de ambos que eles se veem rodeados de desafios diários, como a indomável sede de controle de Christian, a “inocência” de Ana em relação ao casamento e a falta de sintonia do casal na vida conjunta.

Além dos desafios diários, os fantasmas do segundo livro – 50 tons mais escuros – voltam para arruinar a vida – já complicada – do casal, com direito à incêndios, perseguições noturnas e tentativas de sequestro.

Entretanto, na minha opinião, a autora ainda peca e deixa muito a desejar, como também acontece nos livros anteriores. Há palavrões de forma demasiada em todos os trechos do livro, estamos lendo e de repente surge um “porra”, “merda”, “foda” e isso acaba deixando o texto coloquial demais à ponto de tornar-se chulo. Há ainda muita enrolação para se chegar no ponto onde se quer realmente chegar, e os personagens não têm profundidade, com isso “50 Tons de Liberdade”, acaba se tornando um livro que prende o leitor, mas que decepciona por seus acontecimentos totalmente previsíveis.







4 Comentários

  1. Tenho muita curiosidade para ler essa trilogia, mas pelo tema pesado e devido a tantas críticas em relação a linguagem chula, eu acabo ficando com um pé atrás e deixando no final da minha lista de compras.
    Muita gente que eu conheço leu ou quer ler o livro, somente pelas cenas de sexo e pelo fato do sadomasoquismo estar presente na história, mas, eu acho que se as pessoas querem ler um livro somente por isso, elas deveriam procurar ler algum romance histórico, pois tem a presença de cenas mais 'fortes' sem perder o conteúdo e a qualidade do livro (tanto das falas quanto da escrita presente no mesmo).
    Enfim, fica a minha opinião u_u

    Já estou seguindo o blog! n__n
    Beeeeeeeeeeeeeeijinhos, muito sucesso, e um ótimo feriado! :*
    www.linguadoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente Rafaela! Li bastante aqueles romances baratinhos que vendem em barraquinhas sabe? E sinceramente as passagens de erotismo não deixam a desejar e os personagens têm mais profundidade, não é só o sadomasoquismo entende? Enfim, esperava bem mais do livro! Que bom que está seguindo o blog, seja bem-vinda! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Após ler tantas resenhas negativas a respeito do primeiro livro da série, a vontade que nunca tive de ler o livro só aumentou.
    Quando se pega um livro para ler, não queremos apenas sexo e uma linguagem mais "liberal", mas um enrdo bem construído, e pelo jeito a autora deixou mtu a desejar.
    Um dia, quem sabe, eu leio a série e possa dizer oq achei dela ;)

    http://autoracarolinaribeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez gostei muito da resenha Quésia Mello. Na minha opinião o romance nos envolve e tudo mais. Mas ela descreve tanto alguns trechos (mais eróticos) que outros detalhes, resoluções são colocados meio que superficialmente para a conclusão da história. Achei o final muito corrido. É porque quando a gente se envolve muito, alguns detalhes não passam desapercebidos. Mas volto a afirmar que GOSTEI muito da trilogia!! Li um após o outro sem parar.

    ResponderExcluir