Titulo: O Castelo de Vidro
Autora: Jeannette Walls 

Sinopse: Um fabuloso testemunho sobre como sobreviver numa família obstinadamente pobre, excêntrica e severamente disfuncional. Uma notável, comovente e profundamente humana lição de vida! Durante duas décadas, Jeannette Walls, uma conhecida jornalista nova-iorquina, bonita, brilhante e bem sucedida, escondera as suas raízes. Crescera com pais cujos ideais e inconformismo foram ao mesmo tempo uma bênção e uma maldição para eles e para os filhos. Rex e Rose Mary Walls tiveram quatro filhos. No princípio, viviam como nómadas, mudando de uma cidade para a outra, habitando velhos armazéns abandonados ou acampando nas montanhas.Jeannette, as duas irmãs e o irmão tinham de sobreviver sozinhos, tentando arranjar comida, limpando a casa e encorajando os pais a trabalhar, enquanto se amparavam mutuamente e procuravam dar alguma normalidade à vida errática a que eram forçados.Mas, ao contrário do que se poderia pensar, a história narrada em O Castelo de Vidro não é uma história infeliz. Contada sem dramatismo, é uma história de triunfo sobre a adversidade, mas também uma narrativa comovente sobre o amor incondicional por uma família que, não obstante as suas profundas falhas, lhe deu a firme determinação para construir uma vida bem sucedida. 

Comprei esse livro por acaso, julguei o livro pelo titulo “O Castelo de Vidro”, ao invés de eu escolhê-lo o livro é quem me escolheu. Além disso, o livro é baseado em fatos reais e revela as memórias vividas na infância aventureira, pobre, sonhadora  e inesquecível da autora Jeannette Walls.

Quando comecei a ler as primeiras linhas não consegui mais parar, o livro é escrito de uma forma tão leve e se torna tão fácil de ser lido que o leitor não perde o ritmo da leitura, não ficam parados dias naquele trecho que parece que nunca irá acabar, mas se envolve com as emoções, perdas e erros de uma família que vive como nômade no deserto, morando em galpões abandonados ou acampando em montanhas.

Para mim o que ficou como ponto principal do livro foi a relação de devoção de Jeannette com o pai, Rex Walls. Um homem brilhantemente inteligente, sagaz e charmoso, mas ao mesmo tempo um bêbado inveterado que roubava o dinheiro da própria casa para comprar bebida, outrora se tornava violento com a esposa Rose Mary, que por acaso era uma mãe totalmente alheia as necessidades dos filhos e mesmo sendo diplomada não trabalhava e deixava a família inteira viver dos pequenos bicos que o marido fazia de cidade em cidade.

Com esses pais os filhos Lori, Brian e Jeannette Walls tiveram de aprender a sobreviverem sozinhos e darem as suas vidas a maior normalidade possível. Em um momento do livro Rex promete a filha Jeannette um castelo de vidro e tudo então parece ganhar sentido na vida dela. Todas as viagens são a procura do terreno perfeito para um castelo, todas as vezes que o pai leva dinheiro diz que é para o castelo e assim a vida parece um sonho sem fim, e as aventuras e desventuras se tornam constantes em uma vida totalmente sem regras, mas cheia de erros.

O Castelo de Vidro, no enche de fúria e no momento seguinte nos deixa maravilhado, porque apesar de tudo essas não são memórias tristes, a autora retrata a sua infância com alegria e amor incondicional aos pais e aos irmãos e mostra como aprendeu a ser determinada e corajosa e acima de tudo sonhadora como o pai, enfrentando os desafios diários de sua vida ao lado da família.



Um Comentário

  1. Nossa, deve ser muito bom! Eu gostei muito de sua resenha e da sinopse :) Parabéns! Vou colocar na minha lista no skoob!

    ResponderExcluir